Portugal na Primeira Guerra Mundial

Portugal na Primeira Guerra MundialNo dia 28 de Julho de 1914 teve início a Primeira Guerra Mundial, uma guerra global centrada essencialmente na Europa. Por um lado estavam os Aliados, cuja base era a Tríplice Entente (aliança militar entre Reino Unido, França e Império Russo); por outro lado estavam os Impérios Centrais, cuja base estava na aliança militar entre a Alemanha e a Áustria-Hungria.

Inicialmente Portugal não se envolveu diretamente nesse conflito, apesar de logo em 1914 ter enviado tropas para Angola e Moçambique, com o propósito de defender as suas colónias contra a presença ameaçadora que a Alemanha tinha em África, e que assim colocava em risco o domínio português sobre suas colónias.

Em Portugal havia quem defendesse a entrada do país na guerra e outros que se oponham a essa ideia. Os que defendiam a entrada de Portugal na guerra apresentavam vários argumentos, tais como a necessidade de preservar as colónias portuguesas, e também invocavam a antiga aliança que Portugal tinha com a Inglaterra, entre outros argumentos.

Em Fevereiro de 1916, a pedido dos britânicos, Portugal apreendeu várias dezenas de navios alemães que estavam estacionados na costa portuguesa. Este incidente acabaria por levar a Alemanha a declarar guerra contra Portugal em 9 de Março de 1916, sendo esse o desejo do governo português. Assim, Portugal entrava na Primeira Guerra Mundial ao lado dos Aliados.

Em 1917, Portugal enviou tropas para vários locais, entre os quais a Flandres (Bélgica) e França.

Das diversas intervenções militares de Portugal na Primeira Guerra Mundial, a mais marcante terá sido na Batalha de La Lys, ocorrida na Flandres. Na madrugada de 9 de Abril de 1918 as forças portuguesas (cerca de 20.000 homens) foram atacadas pelas forças alemãs, muito mais numerosas, que tinham mobilizado 100.000 homens para esse ataque. Esse confronto fazia parte de uma operação que os alemães chamaram de operação Georgette. Em poucas horas, no decurso desta batalha desigual, as tropas alemãs provocaram pesadas baixas no Corpo Expedicionário Português (CEP). O número exato de baixas no lado português não parece ser atualmente consensual. Segundo algumas fontes esta batalha provocou nas tropas portuguesas 1341 mortos, 4626 feridos, 1932 desaparecidos e 7440 prisioneiros. Porém existem outras fontes que apresentam números diferentes.

O Corpo Expedicionário Português, apesar de ter tentado oferecer resistência, acabaria por rapidamente sair derrotado perante o evidente maior poderio alemão.

A Primeira Guerra Mundial foi uma guerra brutal e devastadora. Muitos milhões combatentes e civis morreram durante esta guerra, e muitos outros ficaram feridos. Quanto a Portugal, foram muitos milhares os mortos e feridos nas suas tropas. A participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial acabou por afetar negativamente a sociedade portuguesa daquela época.

No final da guerra, as forças Aliadas saíram vencedoras (se é que existiram vencedores nesta guerra). Após o armistício em Novembro de 1918, os portugueses desfilaram como vitoriosos nos Campos Elísios, em Paris, juntamente com as tropas aliadas.

Segue-se um documentário disponibilizado pela RTP que se debruça sobre a participação de Portugal na Primeira Guerra Mundial, com particular destaque na Batalha de La Lys: http://ensina.rtp.pt/artigo/batalha-de-la-lys-documentario/.

Soldado Português

Soldado Português

Share Button
Portugal na Primeira Guerra Mundial
Classifique este post
Bookmark the permalink.

Comments are closed.